NOTA DO PARTIDO VERDE DE SOLIDARIEDADE AO AMAPÁ

06 nov 2020

O Partido Verde presta solidariedade à população do Amapá em um momento de comoção nacional e calamidade pública. Desde a noite do dia 03 de novembro, o estado passa por um “apagão energético” provocado por um incêndio na subestação Macapá. A queda de energia atingiu 13 dos 16 municípios amapaenses.

O presidente estadual do PV/AP, Zezé Nunes, está acompanhando a situação e testemunhando o sofrimento dos conterrâneos. “Na terça-feira, dia 03, por volta de 20h30, houve um forte temporal, com muitos raios e um deles atingiu a subestação de luz que abastece o estado. A grande maioria dos bairros ficou totalmente no escuro”, conta o dirigente. 

O fogo levou ao desligamento automático da linha de transmissão Laranjal/Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes e Ferreira Gomes, deixando praticamente 100% do estado sem eletricidade. Somam-se ao grave problema, as restrições impostas pela pandemia por Covid-19, já que a busca pela garantia de itens básicos de sobrevivência tem causado aglomeração de pessoas e a quebra do isolamento social entre uma população assustada com as consequências desta crise. 

A situação tem gerado caos, desespero e escassez. Postos de combustíveis, caixas eletrônicos, equipamentos hospitalares estão impossibilitados de operar. Abastecimento de água, comida e remédios também estão prejudicados. 

O drama de muitas famílias vem sendo exposto nas redes sociais, por quem ainda dispõe de equipamentos eletrônicos em funcionamento. O apagão expõe a vida e a segurança dos amapaenses e requer o posicionamento urgente do governo federal no sentido de assegurar que todos os esforços sejam envidados para minimizar os estragos já causados no território. 

O cenário inspira preocupação e requer providências urgentes. A previsão do Ministério de Minas e Energia é de que o abastecimento somente volte à normalidade entre 15 e 30 dias, um absurdo! Até lá, a proposta é de que haja revezamento de transmissão, principalmente, em regiões consideradas prioritárias, como os bairros hospitalares.  

Diante da situação, o PV cobra do presidente da República atitude condizente com as necessidades prementes do amapaense. Segundo o próprio Ministério de Minas e Energia, 85% da população, cerca de 730 mil pessoas, foram afetadas pelo apagão, quadro inaceitável que perdura até hoje. O povo do Amapá merece respeito por parte do governo federal e o PV exige providências nesse sentido. 

“Agradeço o carinho e peço orações para que a gente possa passar por este período com mais tranquilidade, já que o momento é de muita dificuldade”, desabafa Nunes.

Share

ACESSIBILIDADE